Saudação

Olá!!!! Graça e Paz no Senhor Jesus Cristo! Sejam bem vindos!!!!

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Sintomas ou sinais?

Sintomas ou sinais? – I Corintios 11:30.
Na literatura médica, sintoma é qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não consistir-se em um indício de doença. Sintomas são frequentemente confundidos com sinais, que são as alterações percebidas ou medidas por outra pessoa,  geralmente um profissional de saúde. A diferença entre sintoma e sinal é que o sinal é aquilo que pode ser percebido por outra pessoa sem o relato ou comunicação do paciente e o sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação do próprio paciente, porém os Sinais são resultado da mudança de comportamento por conta da ação dos males que assolam o corpo físico ou  espiritual, Os sinais são vistos na coletividade, os sintomas só o individuo percebe. Mas que importância tem essas definições para a cosmovisão teológica? Ainda que alguém possa pensar não haver nenhuma importância em definições técnicas para o trato de assuntos espirituais, o que vemos na verdade, é que conhecer esses fundamentos nos dão recursos para discernir o que se passa em nosso âmago o que quase sempre nem mesmo percebemos. Veja só, se somos capazes de perceber os sintomas em nós de que alguma coisa não vai como deveria ser no âmbito espiritual, é quase certo que já estaremos dando sinais visíveis aos demais membros do corpo de Cristo acerca de nossa real situação espiritual. Consideremos alguns sintomas do sono espiritual e os sinais que advém dos mesmos.
1 – Sintoma – “Não discernir o corpo de Cristo” – I Cor 11:29. No grego a palavra é “diakrino” que entre tantas definições também significa: fazer distinção, separar, discriminar, preferir, aprender por meio da habilidade de ver diferenças,etc”. Observe que se alguém “observar a si mesmo”, será capaz de identificar até que ponto ela consegue discernir o corpo de Cristo, ou seja, até que ponto ela consegue entender o significado de fazer parte de um organismo vivo que no mundo espiritual é concebido como um corpo vivo e ativo cuja cabeça é o próprio Cristo. Quem realmente entende essa verdade e a coloca em prática vive de forma espiritual e sempre buscará o amor, o perdão, a união, reconciliação, compreensão, misericórdia e assim por diante, contudo, crentes que não enxergam a importância real dessa verdade bíblica não serão capazes de ser eficazes na piedade negando a eficácia da mesma. O culto será apenas um encontrão para satisfação da própria carne, a comunhão apenas um motivo para comes e bebes e mesmo assim, preterindo os menos favorecidos em beneficio dos mais abastados, sinal claro de sonolência espiritual que obscurece o discernimento. Na Igreja de Corinto era isso que acontecia no culto de santa ceia, pois os membros da igreja se reuniam para comer e beber até a embriagues sem verdadeira preocupação com o significado de tudo aquilo e por conta disso, alguns se embriagavam outros comiam até se empanturrar e outros ficavam com as sobras quando as havia. Hoje na igreja muitos há na mesma condição, pois igreja para tais crentes é apenas uma construção onde pessoas se ajuntam aos finais de semana para ouvir boa musica e um discurso inflamado com elementos de auto ajuda que fortaleçam suas convicções egoístas e materialistas.


2 – Sintoma – “amantes de si mesmos” – Paulo escrevendo sua segunda carta a Timóteo apresenta essa sintomática ao seu filho na fé falando sobre pessoas que nos últimos dias, apesar da aparência de piedade, negariam a eficácia (dunamis = poder)  da mesma.  (piedade no grego=eusebeia – reverência, respeito, fidelidade a Deus, religiosidade).  A mitologia fala de um jovem dotado de uma beleza inigualavelmente extraordinária, o qual ao ver o reflexo de sua imagem na água apaixonou-se por si mesmo e permaneceu diante do espelho dágua até definhar e desaparecer, tornando-se uma flor que hoje é conhecida como Narciso, daí o termo narcisismo que denota a característica de quem só vê a si mesmo. Observe que o termo Narciso tem sua origem na palavra grega “narke”, que significa entorpecido, a mesma palavra também gerou uma outra muito utilizada em nossos dias que é narcótico, entorpecente. O sono espiritual entorpece e assim conduz  as pessoas a mudar o direcionamento que se deve dar ao amor e até mesmo a qualidade do mesmo, uma vez que devemos amar ao próximo como a nós mesmos, mas alguém que perde essa capacidade espiritual amará apenas a si mesmo e ai o amor não será o ágape mas sim egoísmo concentrado, sendo assim apenas os seus próprios sonhos e projetos serão importantes e para os demais restará apenas a oportunidade de serem seus escravos para ajuda-los em suas conquistas. Agora vejamos os sinais que serão apresentados mediante esse quadro, sempre lembrando que os sinais são visíveis a todos e nas questões espirituais afetam a quem convive com o enfermo: II Tim 3: 2 a 5 diz: – avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes, a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus. A recomendação bíblica para quem notas esses sinais na vida de alguém é o afastamento. “destes afasta-te”.         A partir deste texto podemos considerar tantos outros sinais que vemos entre o povo de Deus, por exemplo: Não praticar a justiça( I Cor 15:34), considerando que praticar justiça significa “dar a cada um o que lhe pertence por direito”, veremos que em nossos dias não temos sido exatamente bons praticantes de justiça, pois muitas vezes nos recusamos a dar um sorriso, quanto mais as coisas que exigem mais sacrifícios de fé. Outro sinal, a preguiça (Provérbios 6:9) – “ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? E ainda mais, uma total despreocupação com o dia do acerto de contas (Marcos 13: 33 a 36). Podemos citar ainda muitas outras coisas como pouca atividade evangelística, pouca busca por batismo no espírito santo e dons espirituais, desonra aos velhos, etc, etc, etc. Antes de concluir observe se você conhece alguém que se enquadre nesta descrição, contudo, o mais importante é notar se você mesmo não é quem se enquadra neste contexto, pois afinal, é hora de despertarmos do sono.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário